Tamara Apaixonada

pais

Ato 1

            Tamara chega em casa, esbaforida, sonhadora. Nem percebe que bate a porta ao chegar. Feliz, mais feliz impossível. Alias possível claro que é. Porém, está muito feliz. Radiante! Joga-se no sofá da sala. Canta sozinha!

 

Tamara: Como estou feliz, tra lá lá!

 

Tamara, tão absorta, nem repara que o pai está em casa. O senhor, já entrado nos quarenta, com decepções de mais e cabelos de menos. No conforto do lar, veste chinelas, e calção. Está sem camisa, e sua em abundancia. Olha meio que sem reconhecer a filha. Com uma expressão de ligeira dúvida, se aproxima da garota, que não percebe a chegada do pai. Este a beija na cabeça, sentindo dor nas costas, ao praticar o movimento necessário.

 

 Alaor: Apareceu a Margarida!

 

Tamara: Que susto pai!

 

 Alaor: Pois é filha. Você parecia que nem estava aqui!

 

Tamara: Ai pai! Pois é. Feliz! Muito feliz.

 

 Alaor: Nem parecia. Saiu hoje com uma tromba danada!

 

Tamara (pensando): Verdade, eu estava bem chateada mesmo. Mas aconteceu algo maravilhoso!

 

Alaor contente pela filha vai sentando no sofá, pedindo para a garota arredar para o lado – magicamente, abre uma lata de cerveja, que não estava em lugar nenhum. Como que trazida por um contra regra invisível.

 

 Alaor (dando um gole): Coisa maravilhosa?

 

Tamara: Estou amando papai! E sou amada! Pelo homem mais maravilhoso do mundo!

 

 Alaor (não acreditando): Está amando? E hoje de manhã? Não estava? Está de namorado, meu anjo?

 

Tamara: Estava triste papai! Estava. Mas é complicado! Deixa pra lá. Estou tão feliz agora! Ele é maravilhoso.

 

 Alaor: E posso saber o nome deste rapaz?

 

Tamara: Ai pai. Ainda tem isso! Você não vai acreditar na coincidência…

 

 Alaor: Qual filha? Hoje eu to acreditando em tudo!

 

Tamara: Ele tem seu nome. Se chama Alaor! E é o homem mais bonito do universo! Você tem que o conhecer!

Tamara pula e saltita e ensaia pequenos passos de balé. Ao redor dela, voam passarinhos! Que linda, sorridente – uma perfeita bailarina. O ar todo fica cor de rosa. Em close, brinca e sorri, em perfeita harmonia com o cosmo.

 

 Alaor (divertido): Que mágica besta!  Alaor?

 

Tamara: Sim Pai. E é o homem mais maravilhoso que existe!

ballet

 

 Alaor: Sei… Maravilhoso! E o que faz esse tal? Como você o conheceu? Conta tudo!

 

Tamara (sentando no sofá, após mais um rodopio): Ele não faz nada!

 

 Alaor: Nada? Como assim?

 

Tamara: Nada. Ele não faz nada. Coisa nenhuma. O dia todo, todos os dias.

 

 Alaor: Então, ele é alguma espécie de vagabundo?

 

Tamara: Isso pai! Exato! É o maior vagabundo da cidade!

 

Alaor levanta. Não está nervoso, decepcionado ou coisa assim. Simplesmente anda pelo apartamento, pensando naquele genro desconhecido e inútil. Até que estaca:

 

 Alaor: Mas é impossível filhota. Que ele não faça absolutamente nada!

 

Tâmara (condescendente): Verdade pai! Ele bebe muito. Ia até me esquecendo. Ele bebe diariamente!

 

 Alaor (rindo, divertido): Diariamente? Então ele é alcoólatra?

 

Tamara: Bêbado! E quando bebe vira outra pessoa. Agressivo e trapalhão.

 

 Alaor: Qua qua qua! Já estou imaginando a figura!

 

Tamara: Não dá nem pra imaginar! Ele é lindo! Careca. E bem barrigudo!

 

 Alaor: Que tipão, né? Deve ser um tipo bem namorador, não é mesmo?

 

Tamara: Tem isso. Ele é nojento. Um infiel de primeira. Mentiroso como ele só. Típico babaca! Me trata mal! Só vendo pra acreditar. Estúpido. Ignorante…

 

 Alaor: Mas pelo que você está me contando, esse tal  Alaor (fuma um trago de cigarro, solta a fumaça e bate a cinza) é um idiota.

 

Tamara: Isso. Um babaca! Como eu o amo.

 

Alaor vai até a cozinha. Enquanto isso, Tamara pega o aparelho celular, e manda uma mensagem (provavelmente) para o amado. Sorri muito. Sua alegria é pornográfica. Decorrido um intervalo meio longo, constrangedor, o pai volta com uma garrafa de Rum, uma garrafa de coca, dois copos largos e limões. Senta-se à mesa, e calmamente prepara um drink. Serve um copo para si, e prepara outro para a filha.

 

 Alaor: Tamara?

 

Tamara (Acordando do mundo distante em que está): Oi papi.

 

 Alaor: Eu estava pensando aqui. Sobre esse seu namorado…

 

Tamara (interrompe): Noivo.

 

 Alaor: Como assim?

 

Tamara: Noivo. Ele não é meu namorado.  Alaor é meu noivo.

 

 Alaor: Pois bem. Que seja. Noivo. Decerto ele tem que ter uma ocupação…

 

Tamara: Ah, me esqueci de comentar! Tem mesmo!

 

 Alaor: Ah, o mistério tem fim. E o que ele faz? Eu digo, além de beber?

 

Tamara: Ele cheira cocaína!

 

 Alaor: Jura?

 

Tamara: Sim. Cheira, o máximo possível. E bebe. E fuma! E não trabalha. É o homem mais maravilhoso do mundo!

 

 Alaor: Mas ele cheira todos os dias?

 

Tâmara (como se explicasse o óbvio): Claro que não. Porque o dinheiro não dá. Pelo fato de ele ser desempregado, e tal… Mas ele tenta! Ao menos cinco vezes por semana ele cheira!

 

 Alaor (rindo, feliz): A cada minuto, eu gosto mais desse seu namorado.

 

Tamara: Noivo.

 

 Alaor: Isso, isso! Noivo. Gosto mais desse seu noivo.

 

Tamara: Que bom papai. Sinto que vocês vão se dar muito bem. Quero muito sua aprovação nesse namoro. Noivado.

 

 Alaor: Como foi que vocês noivaram? Foi hoje?

 

Tamara: Eu já o tinha pedido em casamento, mas hoje…

TheKiss2

Cortina se fecha. Quando se abre, estamos no banheiro da casa de Alaor. O noivo. Uma balburdia completa. Sujeira por todo lado. O chuveiro está ligado. Lá de dentro, Tamara dá um banho no namorado. Noivo. Dá pra perceber as silhuetas do jovem casal. Vez em quando, Alaor golfa e quase vomita. Tamara dá palavras de incentivo, enquanto lava o corpo do ser amado. Cortina se fecha, e abre novamente. De volta a sala de Alaor (pai) e Tamara. Ambos estão terminando seu copo de Cuba Libre.

 

 Alaor: Que lindo filha. Fico tão feliz por você. Mas tão feliz.

 

Tamara: Pois é pai. E o melhor eu não te contei! O  Alaor é escritor.

 

 Alaor: Jura filhota? Escritor? E ele já escreveu alguma coisa?

 

Tamara: Nada! As vezes ele publica um post no facebook. Ou tuita alguma coisa. Mas é só quando ele não pode evitar. De maneira geral, ele está sempre de ressaca.

 

 Alaor: Ele deve ser bem perturbado né? Mentalmente? Digo, já que não faz nada o dia inteiro, e não sai de bar e de boca de droga…

 

Tamara: Sim, sim! Ele é desequilibrado! Bate boca com deus e o mundo. E se acha um injustiçado, perseguido! Se entope de remédios. Além disso tudo, tem delírios de grandeza. Se considera um gênio incompreendido!

 

Alaor gargalha pela filha. A felicidade da herdeira o contagia. Emocionado a beija, como se já a estivesse levando pro altar, linda, virginal.

 

 Alaor: Hoje é um dos dias mais felizes de minha vida! E quando eu vou conhecer esse meu genro? Que eu já considero um filho!

 

Tamara: Surpresa papai. Vendo que o senhor ficou tão feliz com a historia toda eu mandei uma mensagem para ele. Ele deve chegar a qualquer momento para conhecer você.

 

 Alaor: Jura filha? Jura? Que ótima noticia? Mas a casa está uma bagunça… Que vergonha desse rapaz, que é quase um comendador, uma fibra moral da nação!

 

Começa a levantar e arrumar rapidamente a casa, levando as latinhas de cerveja vazias para a cozinha e esvaziando o cinzeiro. Imediatamente a campainha toca. Tamara pisca em silencio para o pai, ajeita o vestido. Abre a porta. Um enorme e desengonçado vaso, com uma gigante samambaia aguarda do outro lado – no corredor,

 

Tamara: Pai, (apontando para a planta) este aqui é Alaor.

 

Close em  Alaor Pai. Emocionado, quase chorando de felicidade.

 

 Alaor: Que honra conhecer, este homem que tão feliz torna minha filha.

 

Câmera vai fechando o ângulo na planta / genro. Até que as folhas tomam toda a tela. O mundo fica verde. Que vai ficando verde escuro. Até ficar preto.

 

 Alaor Genro: A honra é toda minha. A honra é toda minha.

 

FIM

samambaia

 

 

 

 

Anúncios

~ por cafasorridente em novembro 7, 2013.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: